Research Library

open-access-imgOpen AccessRumo a uma pedagogia colonial no/do Sul global
Author(s)
Alexander Ortiz Ocaña,
María G. Vega López,
Zaira Esther Pedrozo Conedo,
Clayton Fiori
Publication year2021
Publication title
revista x
Resource typeJournals
PublisherUniversidade Federal do Paraná
O presente artigo discute as relações interpessoais que se desenvolvem no espaço de sala de aula entre professores e alunos, considerando a importância dos conteúdos curriculares nessa interação. É necessário que os professores reconheçam a pluralidade e a diversidade das formas de viver, estar, ser, pensar dos alunos, de modo a não incorrer em ações excludentes fundamentadas na colonialidade. Decolonizar a educação significa, entre outras coisas, reconhecer que os indígenas, camponeses, afro ou surdos, chegam à universidade não apenas para aprender, mas também para ensinar. A decolonialidade da educação é alcançada na mesma medida em que a validade e a importância dos “outros” conhecimentos não formalizados pela matriz colonial são reconhecidas. Finalmente, se queremos implantar a biopráxis pedagógica decolonial, devemos fazê-lo com a intenção de configurar o pensamento decolonial, lembrando que as pedagogias decoloniais exigem que os professores desenvolvam o pensamento a partir das margens e da fronteira.
Subject(s)humanities , philosophy
Language(s)Portuguese
ISSN1980-0614
DOI10.5380/rvx.v16i1.78826

Seeing content that should not be on Zendy? Contact us.

The content you want is available to Zendy users.

Already have an account? Click here to sign in.
Having issues? You can contact us here